Blog

Odontologia x Diabetes

Odontologia x Diabetes

Odontologia x Diabetes

O diabetes mellitus (DM) é uma desordem metabólica muito comum e sua incidência vem aumentando consideravelmente nos últimos anos, tanto no Brasil como no mundo.

                    Isso ocorre principalmente pelo envelhecimento da população, hábitos alimentares inadequados e sedentarismo.

                    É importante fazer uma distinção entre os pacientes portadores de diabetes tipo I é tipo II. Os pacientes do tipo I possuem um controle metabólico mais complexo e portanto ficam mais suscetíveis a complicações durante o tratamento odontológico, necessitando de acompanhamento de especialista. Já os pacientes do tipo II possuem maior estabilidade metabólica e consequentemente menor risco de complicações.

                    Cabe ao cirurgião dentista o diagnóstico precoce dessa patologia para encaminhar ao médico especialista. Tem também papel no manejo clínico-cirúrgico desse paciente, participando ativamente do controle de complicações bucais do DM, aconselhando-o à manutenção do controle glicêmico, à aderência ao tratamento médico e odontológico e, assim, preservando a saúde bucal dessa população.
A alimentação adequada desses pacientes deve ser individualizada pelo profissional de nutrição e varia de paciente para paciente, mas, de modo geral, o dentista deve orientar o paciente a seguir a alimentação com baixo teor de sódio, pobre em carboidratos e açúcares, priorizando fibras.

                    Devemos lembrar que, a alimentação adequada de nada vale se não há função mastigatória nessa população. O dentista tem o dever de reabilitar o paciente o quanto antes, a fim de possibilitar o mesmo a seguir as recomendações nutricionais.

                    A doença periodontal é um dos sintomas da DM, além da presença da secura bucal e de infecções oportunistas, como candidíases e herpes simples. Avaliando essas manifestações, associadas à boa anamnese e coleta de informações sobre fatores de risco do paciente, o dentista pode suspeitar da presença dessa patologia e, consequentemente, solocitar exames diagnósticos, como glicemia em jejum e, mais atualmente, a hemoglobina glicada.

Por isso o profissional deve estar atento tanto às manifestações bucais e ao controle metabólico do paciente, pois algumas destas manifestações cessam quando o paciente atinge um bom controle do DM.

                    Os pacientes portadores de DM devem ser disciplinados para o bom controle da saúde geral e isso inclui a sua saúde bucal, cuidando na higiene bucal, em que o mesmo deve seguir os três passos da higiene bucal: escovação + fio dental + bochecho adequado.

                    O paciente tem que ser consciente de que essa é a melhor maneira de conservar a saúde da boca de maneira eficaz.